19.2.13

Resenha: Diário de um banana de Jeff Kinney

Diário de um Banana
Jeff Kinney
217 páginas
Sinopse: Não é fácil ser criança. E ninguém sabe disso melhor do que Greg Heffley, que se vê mergulhado no ensino fundamental, onde fracotes subdesenvolvidos dividem os corredores com garotos mais altos, mais malvados e que já se barbeiam. Em Diário de um Banana, Greg nos conta as desventuras de sua vida escolar. Em busca de um pouco de popularidade (e também de um pouco de proteção), o garoto se envolve em uma série de situações que procura resolver de uma maneira muito particular. No primeiro livro da coleção, o autor e ilustrador Jeff Kinney nos apresenta um herói improvável e encantador. Um garoto comum às voltas com os desafios da puberdade. 

 Resenha para o Desafio Literário. Veja aqui a lista completa dos temas mensais.

Se a ideia do desafio literário era me fazer rir com o tema deste mês, funcionou! Porém não me causou tamanho divertimento como se fosse uma pré adolescente de 12 anos, afinal tenho 26, e minha visão de “diversão” é bem diferente do que a do livro. Isto não é uma critica negativa, o livro é realmente engraçado, mas não foi o suficiente para me fazer “rolar de rir”.

 Jeff Kinney pensou direitinho na ideia de passar verdadeiras emoções aos leitores. O livro se chama “Diário de um Banana” e logo nas primeiras paginas a sensação é de estar lendo um próprio diário de um garoto e não um livro. Vou citar alguns exemplos comprovando minha teoria: As folhas do livro são grossas e amareladas similar a um próprio caderno, as letras em formato despojado e sem alinhamento, linguajar popular sem a preocupação com as regras gramaticais, sem contar as ilustrações contidas nas páginas. A impressão que passa é que o próprio personagem-narrador (Greg) às ilustrou conforme ia escrevendo suas aventuras.

Como já disse o personagem-narrador se chama Greg ,um pré adolescente na idade de 10 à 12 anos e esta cursando o sexto ano escolar (Isto significa conviver diariamente com os grandões da oitava série). É considerado um Banana por diversos fatores: pelo porte físico (magrelo “raquitinho”), tem apenas um amigo (Rowley – este sim consegue ser mais Banana que o próprio Greg), é nerd viciado em vídeo-game (de preferência joguinhos de lutas), e por fim mas não menos importante; é motivo de “chacota” entre os “grandões” da escola.

Greg narra os fatos de seu cotidiano (dia a dia) e a ideia de ganhar um diário foi de sua mãe, mas deixou bem claro que odiou o presente e que jamais escreveria seus sentimentos ali (porém esta subjetiva no livro). Entretanto concordou com a “tal ideia do diário”, pois em um futuro breve pretende ser famosos e assim conseqüentemente não precisará ficar narrando para os reportes fatos de sua vida. Irá apenas mostrar o diário. Veja:
“A única razão de eu ter aceitado isso  é porque imagino que, mais para a frente, quando eu for rico e famoso, vou ter coisas melhores para fazer do que ficar respondendo a perguntas bestas o dia inteiro. Daí este livro vai vir a calhar”. (Trecho do livro).
 “Só não espere que eu seja todo “Querido Diário” isso, “Querido Diário” aquilo.”  (Trecho do livro).
Sem sombras de duvida o autor Jeff soube muito bem tele transportar para uma mente de um garoto de 12 anos, pois sua didática esta de excelência. Entendo que Kinney mostrou que a infância é algo memorável de aventuras em nossas vidas, é não importa o tão popular você seja. Sem preocupações, sem rancores, sem stress...   

Nenhum comentário:

Postar um comentário

* Primeiramente muito obrigada pela visita.
* Volte sempre que puder, ficarei muito feliz.
* Seja educado (a), comentários ofensivos não serão aceitos.
* Críticas construtivas, sugestões e elogios são bem vindos.
* Se pegar alguma coisa, credite sempre.

Página Anterior Próxima Página Home
Copyright © Blog da Ka |
Design by Karina Karoline | Tecnologia do Blogger
    Twitter Facebook Google + YouTube