10.12.12

A Lenda de: "Tristão e Isolda"




  "(...)somos como madressilva qnd se enrola à volta do ramo da aveleira: uma vez a ela ligada e presa, ambas podem durar juntas eternamente, mas, se as querem separar, a madessilva morre em pouco tempo e o mesmo sucede à aveleira. Tal é o nosso caso: nem vós sem mim, nem eu sem vós!" (Trecho do livro Tristão e Isolda).
 Resenha do livro: "Tristão e Isolda" (Escrita em 1900  por Joseph Bédier).

Um amor louco e devastador domina os corações dos jovens amantes: Tristão e Isolda. 
Tristão é um guerreiro astuto, forte, inteligente, entretanto possui as características mais sublimes da Literatura medieval: não se curva diante das batalhas e vence todos os obstáculos com dignidade e valentia.

Com a morte de seu pai “Rei de Tintagel”, o mesmo decide ir rumo a novos horizontes, procura seu Tio Marcos – Rei da Cornualha, se apresentando com um cavaleiro qualquer, assim poderia conseguir através de méritos sua total confiança e lealdade.  Foi desta maneira que venceu o gigante e partiu para Irlanda à conquista da princesa Isolda, a fim de esposar seu Ti Marcos.  

Apesar de sua grande admiração pelo Rei Marcos, Tristão deixou de dominar seus sentimentos apaixonando-se perdidamente pela prometida do Rei “A linda e cobiçada Isolda”, tudo por causa de uma poção mágica feita pela Rainha Isolda (Feiticeira e mãe da princesa). 

A partir deste momento ambos deixaram de controlar a razão e passaram a viver a luta de um grande amor. Sabendo que seus destinos eram completamente opostos, os amantes enfrentam todas as forças adversas e por fim acabam morrendo nos braços um do outro.


Visão Pessoal: Primeiramente é necessário notar que baseado nesta lenda: “Tristão e Isolda”, foram feitas diversas adaptações na história, por esse motivo conselho a ler a pioneira (original), e assim notar a total diferença com o filme  dirigido por Kevin Reynolds.

O romance (Tristan et Iseut) é datado de 1175 do normando Béroul, encaixando-se perfeitamente na literatura no século XII.

O sobrenatural está presente na obra nas seguintes maneiras:
A força de Tristão: Vence o Gigante Morholt e o dragão que apavora a terra de Irlanda.
A poção mágica feita pela Rainha da Inglaterra, a ponto de causar um amor devastador nos corações de quem a tomar.
A existência de seres surreais: Exemplo o próprio Dragão.
A espada envenenada  que pode ser curada apenas por quem fez a poção.
O anão vidente.
Entre outros fatores.

Principais Características
Literatura Medieval
Feudalismo
O sobrenatural presente nas ações cotidianas
Antropocentrismo
Honra e Traição a Corte

Não repasse o texto. Grata.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

* Primeiramente muito obrigada pela visita.
* Volte sempre que puder, ficarei muito feliz.
* Seja educado (a), comentários ofensivos não serão aceitos.
* Críticas construtivas, sugestões e elogios são bem vindos.
* Se pegar alguma coisa, credite sempre.

Página Anterior Próxima Página Home
Copyright © Blog da Ka |
Design by Karina Karoline | Tecnologia do Blogger
    Twitter Facebook Google + YouTube